EPIDEMIOLOGIA

A obesidade é hoje entendida como uma doença de proporçoes universais. Dados da organizaçao mundial de saúde (oms) relatam que de cada 08 adultos, 01 é obeso. A projeção é que em 2025, cerca de 2,3 bilhões de pessoas estejam com excesso de peso, sendo mais de 700 milhões com obesidade. No brasil, segundo a associação brasileira para estudo da obesidade e síndrome metabólica (abeso), mais de 50% da população está acima do peso. Entre as crianças, esse número chega a 15%.

Definição de obesidade
A obesidade caracteriza-se por um excesso de gordura corporal, gordura essa que causa prejuizo ao indivíduo. Várias medidas antropométricas já foram tentadas para classificar a obesidade. Hoje, a mais utilizada em todo o mundo é o imc (índice de massa corpórea). Essa ferramenta utiliza o peso e a altura do índividuo e o seu resultado é jogado em uma tabela de classificaçao da obesidade.

Indicação de cirurgia
A indicação da cirurgia ocorre no seguintes casos:

  • Imc entre 35 e 40 com doenças associadas a obesidade (hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2, apneia do sono, esteatose hepática, alterações do colesterol, dentre outras).
  • Imc acima de 40.

Técnicas cirúrgicas
Dentre as técnicas cirurgicas para obesidade, duas são as mais empregadas atualmente:

  • Sleeve (gastrectomia vertical): cirurgia onde se realiza uma redução do estômago, transformando o mesmo em um tubo. É, junto com o bypass gástrico, a técnica mais realizada no mundo atualmente. Tem excelente resultado na perda de peso e menos impacto na absorção de vitaminas e nutrientes, tendo, portanto, menos efeitos colaterais do que o bypass.
  • Bypass gástrico: cirurgia onde se realiza além da redução do estômago, um “desvio” no trânsito intestinal. Esse desvio do trânsito gera com saldo final um maior impacto na perda de peso e melhor resultado em paciente com doenças metabolicas mais graves.Obs: cada paciente deverá ser avaliado pela historia da obesidade e resultado de exames. Depois dessa avaliaçao, juntamente com o seu médico assistente, será definido a técnica cirurgica a ser utilizada.

Preparo para cirurgia
O preparo pré-operatório do paciente tem objetivo identificar doenças relacionadas a obesidade e, principalmente, diminuir chances de complicações pré-operatórias. O paciente é orientado a realizar consultas com alguns especialistas visando o preparo adequado para a cirurgia.
Como parte do preparo para a cirurgia alguns exames são solicitados obrigatoriamente, tais como: exames laboratoriais de sangue, ultrassom abdominal, eletrocardiograma, radiografia de toráx e endoscopia. Alguns outros exames podem ser necessários de acordo com cada paciente.
O paciente é orientado, também, a se consultar com alguns especialistas que precisarão libera-lo para cirurgia, tais como: cardiologista, psicólogo (psiquiatra), nutricionista, endocrinologista. Pós-operatório Como rotina, após o procedimento cirúrgico, o paciente é encaminhado a sala de recuperação pós-anestésica e posteriormente ao quarto. O período de internamento pode variar com cada paciente, mas em média este tempo é entre 36 e 48h.
O paciente recebe alta com dieta orientada pela nutricionista, a qual deve ser obrigatoriamente obedecida. Após a cirurgia, consultas de retorno são programadas com o cirurgiao e nutricionista, a fim de acompanhar a evolução e os resultados.

Pós-operatório
Como rotina, após o procedimento cirúrgico, o paciente é encaminhado a sala de recuperação pós-anestésica e posteriormente ao quarto.
O período de internamento pode variar com cada paciente, mas em média este tempo é entre 36 e 48h.
O paciente recebe alta com dieta orientada pela nutricionista, a qual deve ser obrigatoriamente obedecida.
Após a cirurgia, consultas de retorno são programadas com o cirurgiao e nutricionista, a fim de acompanhar a evolução e os resultados.