Uma parcela significativa da população apresenta sintomas de refluxo (no Brasil, estima-se que a incidência seja em torno de 12%, o que corresponde a mais de 20 milhões de pessoas). A grande maioria desses pacientes não precisarão de tratamento cirúrgico, sendo cada caso individualizado.
Os sintomas consistem em “queimação” no peito associado a alguns episódios de regurgitação (retorno de um líquido “amargo”) para a boca. Alguns pacientes podem apresentar o que se chama de sintomas atípicos, tais como: rouquidão frequente, “pigarros”, tosse seca, dentre outros.
O diagnostico pode ser feito através de uma consulta com o médico especialista. Através dessa consulta, o profissional julgará a necessidade de realização de exames complementares, sendo o principal deles a endoscopia.
Como dito anteriormente, a grande maioria dos casos serão tratados através de medicação. Porem, uma pequena parcela de paciente irá necessitar de intervenção cirúrgica para controle da doença.